BRASIL: Temer confirma candidatura à presidência: 'seria uma covardia não concorrer'

Segundo ele, "se tivesse feito um governo destrutivo para o País, eu mesmo refletiria que não dá para continuar"

presidente Michel Temer afirmou à revista Istoé que "seria uma covardia não ser candidato" e que pretende defender, ele mesmo, o legado de seu governo e a continuidade das políticas atuais. Na entrevista, publicada na edição deste fim de semana, o emedebista lembrou que todos os demais presidentes tentaram a reeleição. Não repetir esse gesto, segundo ele, poderia passar a imagem de que estava se escondendo e que os demais candidatos se sentiriam livres para "bater" em sua gestão.
"Acho que seria uma covardia não ser candidato. Porque, afinal, se eu tivesse feito um governo destrutivo para o País eu mesmo refletiria que não dá para continuar. Mas, pelo contrário, eu recuperei um País que estava quebrado. Literalmente quebrado. Eu me orgulho do que fiz. E eu preciso mostrar o que está sendo feito", afirmou Temer à Istoé. A entrevista foi feita na quarta-feira passada, 21.
Temer, que disse ter tomado a decisão "de um mês e meio para cá", avaliou que o ideal seria ter apenas uma candidatura de centro, mas que o cenário que se desenha são de vários nomes. Ele ainda afirmou que o MDB já prepara uma espécie de "Ponte para o Futuro 2", documento que norteou sua política econômica.
Apesar dos índices baixos de popularidade, o presidente já havia avisado a aliados que disputaria a eleição, como revelou o Estado, domingo passado. A informação havia sido antecipada pelo site BR18. Temer avalia que quadro político mudou com pré-candidaturas de Geraldo Alckmin (PSDB) e Rodrigo Maia (DEM) e aposta na recuperação da economia e na intervenção no Rio para se cacifar. Ele já havia dito nesta semana que sua candidatura 'não era improvável'.
Temer tem a seu favor o calendário eleitoral, já que pela legislação ele não precisa deixar o cargo até abril para concorrer - como acontece, por exemplo, com o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, outro nome cotado para disputa do Planalto.
INQUÉRITO DOS PORTOS
Sobre as acusações que constam no inquérito dos Portos, no qual foi incluído, Temer disse negou ter relações com a empresa Rodrimar, mas disse que não vai abrir o sigilo bancário antes que essas informações sejam disponibilizados pela própria Justiça - o inquérito não é sigiloso. 

Nike pode financiar ida de Neymar para o Real Madrid; entenda o interesse

Empresa norte-americana de materiais esportivos pretende ajudar na negociação para, em breve, fechar parceria com o clube espanhol 
A novela sobre a transferência do atacante Neymar para o Real Madrid já na próxima temporada ganhou um novo capítulo nesta semana e com um novo personagem bastante importante: a Nike , empresa de materiais esportivos que patrocina o jogador brasileiro. 
De acordo com o jornal espanhol "As", a Nike pode financiar o retorno de Neymar  ao futebol espanhol ajudando consideravelmente no pagamento de uma parte da multa de 400 milhões de euros que o PSG estipulou na possível negociação.

Mas qual o interesse da empresa norte-americana nesse tipo de negócio? O Real tem contrato com a Adidas até 2020 e a Nike já estaria de olho em fazer parceria com o clube merengue após o término desse vínculo, pagando muito mais do que a empresa rival oferece - hoje o clube de Madri recebe algo em torno de 40 milhões de euros por ano.
Além de Neymar, a Nike também patrocina Cristiano Ronaldo, enquanto Lionel Messi tem acordo com a Adidas. 

Outras formas de fazer dinheiro

O jornal Marca também fez uma reportagem sobre a possível ida do camisa 10 da seleção brasileira para o Real e indicou alguns nomes que podem deixar o clube merengue para arrecadar dinheiro. Gareth Bale, Karim Benzema, Isco e Kovacic seriam os escolhidos para serem negociados e, assim, garantir a quantia necessária para fazer o pagamento ao PSG .

Diante de todas as especulações, o catari Nasser Al-Khelaifi, presidente do clube francês, viajou ao Brasil para acompanhar de perto o tratamento de Neymar - o jogador passou por uma cirurgia no pé direito - e também para garantir que ele continue no PSG.
Fonte: Esporte - iG 

Eunício Oliveira afirma “CEARÁ - faculdade de Medicina irá para Iguatu” durante encontro com Ednaldo Lavor

O prefeito Ednaldo lavor (PDT) continua cumprindo agenda em Brasília objetivando destravar alguns projetos de interesse da população de Iguatu, dentre eles, a Faculdade de Medicina. Ainda no dia de ontem (21), o prefeito iguatuense se reuniu com o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB) com a finalidade de unir forças para garantir a implantação do curso de medicina na Terra da Telha. Na sua fanpage, o prefeito iguatuense se pronunciou sobre sua estadia na capital federal.
“Participamos de um almoço com mais de 30 prefeitos na residência oficial da presidência do Senado e, em seguida, eu e o secretário da Saúde de Iguatu, Dr. Marcelo Sobreira nos reunimos numa sala reservada com o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira, onde tratamos sobre a Faculdade de Medicina de Iguatu. O senador ligou para o ministro da Educação, Mendonça Filho e afirmou para ele que não abre mão desse benefício para o Centro Sul do Ceará. Eunício reconheceu o meu esforço enquanto prefeito, reconheceu também os esforços da deputada Miriam Sobreira e de seu esposo Marcelo nesta conquista. Afirmamos para o povo que só vamos sair de Brasília com a garantia de que a faculdade vai para Iguatu”, disse.
Assessoria PMI

Justiça Eleitoral quer permitir auditoria nas urnas no dia da votação

Segundo o responsável pela tecnologia do tribunal, a própria urna já verifica sozinha se as informações estão íntegras

Para aumentar a confiança da sociedade na segurança das urnas eletrônicas, a Justiça Eleitoral deve permitir uma nova auditoria nas máquinas, além das que já existem. A ideia é auditar as urnas antes do início da votação, no mesmo dia do pleito.
Representantes de partidos políticos e de integrantes da sociedade civil – que questionam a segurança das urnas – vão escolher zonas eleitorais para, no dia da votação, verificar se as urnas estão íntegras e se não foram violadas.
José Cruz/Agência Brasil
O secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superio Eleitoral (TSE), Giuseppe Janino, ressaltou que a medida vai aumentar a transparência do processo. “Vai ser possível agora, algumas horas antes da eleição, abrir a urna e verificar se os dígitos verificadores estão iguais aos que publicamos na internet. É uma forma de o cidadão normal verificar todos os programas que estão inseridos na urna”, explicou.
Segundo o responsável pela tecnologia da informação do tribunal, a própria urna já verifica sozinha se as informações estão íntegras e, caso não estejam, ela deixa de funcionar automaticamente. A diferença é que agora membros da sociedade e dos partidos poderão verificar pessoalmente a inviolabilidade das urnas. A ideia é que se faça uma verificação por amostragem.
O presidente do TSE, ministro Luiz Fux, informou, nesta quinta-feira, que até o dia 5 de março o tribunal vai publicar a resolução para regulamentar a nova auditoria. O objetivo é reduzir a resistência de grupos críticos ao sistema de votação brasileiro.
Até a última eleição, o TSE realiza uma auditoria paralela, também por amostragem, com simulação do voto para verificar se os candidatos inscritos estão corretos. Nesta auditoria, a urna não é usada para votação e a verificação ocorre fora das seções eleitorais.
Fake news
O ministro Luiz Fux tomou posse na presidência do TSE nesta semana e disse que uma das prioridades será o combate às notícias falsas, as chamadas fake news (notícias falsas). Criado pelo ministro Gilmar Mendes, o conselho consultivo da internet recebeu novos integrantes na gestão de Luiz Fux.
A Polícia Federal e o Ministério Publico passaram a integrar o grupo, que contava com membros do Exército, da Fundação Getúlio Vargas, empresas de mídias sociais e outros órgãos do governo.
Segundo o ministro Luiz Fux, o conselho vai atuar dentro do TSE e a imprensa tradicional ajudará na identificação das notícias falsas. “A imprensa será nossa fonte primária de aferição da verossimilhança daquilo que está sendo noticiado”, frisou o presidente do TSE.
Lei da Ficha Limpa
Luiz Fux ainda defendeu que condenados em 2ª instância não podem participar das eleições, sob pena de se negar a eficácia da Lei da Ficha Limpa. Porém, caso o candidato consiga uma liminar da Justiça para concorrer, Fux acredita que, neste caso, o Plenário do TSE terá que se manifestar sobre a liminar que permitiu a candidatura de determinado político.
Por: Iguatu. Net

Governo lança projeto piloto do documento nacional de identificação, que reúne CPF e título de eleitor

Servidores do Ministério do Planejamento e do Tribunal Superior Eleitoral serão os primeiros a ter acesso ao documento. Meta do governo é que população possa solicitar o DNI a partir de julho.
O governo federal lançou nesta segunda-feira (5) o projeto piloto do Documento Nacional de
Identificação, que reunirá, num primeiro momento, o CPF e o título de eleitor.
O DNI poderá no futuro incluir outros documentos, desde que sejam firmados convênios
com órgãos públicos para a integração da base de informações.
O Ministério do Planejamento informou que a nova identificação dispensará a apresentação
de papéis como CPF, certidão de nascimento, casamento ou título de eleitor.
A solicitação do DNI será feita por meio de um aplicativo gratuito para smartphones
ou tablets, disponível nas plataformas Android e iOS. A partir desta segunda (5),
de acordo com o TSE, a solicitação estará disponível para cerca de 2 mil servidores
do tribunal e do Ministério do Planejamento. Eles trabalharão em eventuais ajustes no serviço.
De acordo com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), a meta é que,
a partir de 1º de julho, os demais cidadãos, que tenha feito cadastro biométrico, possam
solicitar o DNI.
A cerimônia de lançamento do projeto piloto, no Palácio do Planalto, contou com as presenças
de autoridades como o presidente Michel Temer, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),
ministo Gilmar Mendes, e o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.
“É dever de todos nós colocarmos a evolução tecnológica à serviço do cidadão.
É o que fazemos todos hoje com o lançamento do piloto do documento nacional de identificação”,
disse Temer em discurso. "A ideia de um documento de identidade todo digital que possamos
acessar pelo telefone é muito prática. A vida de tudo mundo de alguma maneira ficará mais fácil", completou.
Dyogo Oliveira destacou que o DNI vai facilitar o dia a dia do cidadão ao reunir diferentes
documentos e informações, como bancos de dados do governo federal.
“A partir desse aplicativo você vai ter a integração de outros documentos, junto com a base
de dados biométricos que o TSE já vem construindo”, disse. “O cartão do SUS pode ser a

próxima fase [de integração ao DNI]”, completou.

BRASIL: Temer confirma candidatura à presidência: 'seria uma covardia não concorrer'

Segundo ele, "se tivesse feito um governo destrutivo para o País, eu mesmo refletiria que não dá para continuar" O  presidente...