Eunício Oliveira afirma “CEARÁ - faculdade de Medicina irá para Iguatu” durante encontro com Ednaldo Lavor

O prefeito Ednaldo lavor (PDT) continua cumprindo agenda em Brasília objetivando destravar alguns projetos de interesse da população de Iguatu, dentre eles, a Faculdade de Medicina. Ainda no dia de ontem (21), o prefeito iguatuense se reuniu com o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira (MDB) com a finalidade de unir forças para garantir a implantação do curso de medicina na Terra da Telha. Na sua fanpage, o prefeito iguatuense se pronunciou sobre sua estadia na capital federal.
“Participamos de um almoço com mais de 30 prefeitos na residência oficial da presidência do Senado e, em seguida, eu e o secretário da Saúde de Iguatu, Dr. Marcelo Sobreira nos reunimos numa sala reservada com o presidente do Congresso Nacional, Eunício Oliveira, onde tratamos sobre a Faculdade de Medicina de Iguatu. O senador ligou para o ministro da Educação, Mendonça Filho e afirmou para ele que não abre mão desse benefício para o Centro Sul do Ceará. Eunício reconheceu o meu esforço enquanto prefeito, reconheceu também os esforços da deputada Miriam Sobreira e de seu esposo Marcelo nesta conquista. Afirmamos para o povo que só vamos sair de Brasília com a garantia de que a faculdade vai para Iguatu”, disse.
Assessoria PMI

Justiça Eleitoral quer permitir auditoria nas urnas no dia da votação

Segundo o responsável pela tecnologia do tribunal, a própria urna já verifica sozinha se as informações estão íntegras

Para aumentar a confiança da sociedade na segurança das urnas eletrônicas, a Justiça Eleitoral deve permitir uma nova auditoria nas máquinas, além das que já existem. A ideia é auditar as urnas antes do início da votação, no mesmo dia do pleito.
Representantes de partidos políticos e de integrantes da sociedade civil – que questionam a segurança das urnas – vão escolher zonas eleitorais para, no dia da votação, verificar se as urnas estão íntegras e se não foram violadas.
José Cruz/Agência Brasil
O secretário de Tecnologia da Informação do Tribunal Superio Eleitoral (TSE), Giuseppe Janino, ressaltou que a medida vai aumentar a transparência do processo. “Vai ser possível agora, algumas horas antes da eleição, abrir a urna e verificar se os dígitos verificadores estão iguais aos que publicamos na internet. É uma forma de o cidadão normal verificar todos os programas que estão inseridos na urna”, explicou.
Segundo o responsável pela tecnologia da informação do tribunal, a própria urna já verifica sozinha se as informações estão íntegras e, caso não estejam, ela deixa de funcionar automaticamente. A diferença é que agora membros da sociedade e dos partidos poderão verificar pessoalmente a inviolabilidade das urnas. A ideia é que se faça uma verificação por amostragem.
O presidente do TSE, ministro Luiz Fux, informou, nesta quinta-feira, que até o dia 5 de março o tribunal vai publicar a resolução para regulamentar a nova auditoria. O objetivo é reduzir a resistência de grupos críticos ao sistema de votação brasileiro.
Até a última eleição, o TSE realiza uma auditoria paralela, também por amostragem, com simulação do voto para verificar se os candidatos inscritos estão corretos. Nesta auditoria, a urna não é usada para votação e a verificação ocorre fora das seções eleitorais.
Fake news
O ministro Luiz Fux tomou posse na presidência do TSE nesta semana e disse que uma das prioridades será o combate às notícias falsas, as chamadas fake news (notícias falsas). Criado pelo ministro Gilmar Mendes, o conselho consultivo da internet recebeu novos integrantes na gestão de Luiz Fux.
A Polícia Federal e o Ministério Publico passaram a integrar o grupo, que contava com membros do Exército, da Fundação Getúlio Vargas, empresas de mídias sociais e outros órgãos do governo.
Segundo o ministro Luiz Fux, o conselho vai atuar dentro do TSE e a imprensa tradicional ajudará na identificação das notícias falsas. “A imprensa será nossa fonte primária de aferição da verossimilhança daquilo que está sendo noticiado”, frisou o presidente do TSE.
Lei da Ficha Limpa
Luiz Fux ainda defendeu que condenados em 2ª instância não podem participar das eleições, sob pena de se negar a eficácia da Lei da Ficha Limpa. Porém, caso o candidato consiga uma liminar da Justiça para concorrer, Fux acredita que, neste caso, o Plenário do TSE terá que se manifestar sobre a liminar que permitiu a candidatura de determinado político.
Por: Iguatu. Net

Governo lança projeto piloto do documento nacional de identificação, que reúne CPF e título de eleitor

Servidores do Ministério do Planejamento e do Tribunal Superior Eleitoral serão os primeiros a ter acesso ao documento. Meta do governo é que população possa solicitar o DNI a partir de julho.
O governo federal lançou nesta segunda-feira (5) o projeto piloto do Documento Nacional de
Identificação, que reunirá, num primeiro momento, o CPF e o título de eleitor.
O DNI poderá no futuro incluir outros documentos, desde que sejam firmados convênios
com órgãos públicos para a integração da base de informações.
O Ministério do Planejamento informou que a nova identificação dispensará a apresentação
de papéis como CPF, certidão de nascimento, casamento ou título de eleitor.
A solicitação do DNI será feita por meio de um aplicativo gratuito para smartphones
ou tablets, disponível nas plataformas Android e iOS. A partir desta segunda (5),
de acordo com o TSE, a solicitação estará disponível para cerca de 2 mil servidores
do tribunal e do Ministério do Planejamento. Eles trabalharão em eventuais ajustes no serviço.
De acordo com o Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), a meta é que,
a partir de 1º de julho, os demais cidadãos, que tenha feito cadastro biométrico, possam
solicitar o DNI.
A cerimônia de lançamento do projeto piloto, no Palácio do Planalto, contou com as presenças
de autoridades como o presidente Michel Temer, o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE),
ministo Gilmar Mendes, e o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira.
“É dever de todos nós colocarmos a evolução tecnológica à serviço do cidadão.
É o que fazemos todos hoje com o lançamento do piloto do documento nacional de identificação”,
disse Temer em discurso. "A ideia de um documento de identidade todo digital que possamos
acessar pelo telefone é muito prática. A vida de tudo mundo de alguma maneira ficará mais fácil", completou.
Dyogo Oliveira destacou que o DNI vai facilitar o dia a dia do cidadão ao reunir diferentes
documentos e informações, como bancos de dados do governo federal.
“A partir desse aplicativo você vai ter a integração de outros documentos, junto com a base
de dados biométricos que o TSE já vem construindo”, disse. “O cartão do SUS pode ser a

próxima fase [de integração ao DNI]”, completou.

Para 53% dos brasileiros, ex-presidente Lula deveria ser preso, diz Datafolha

Pesquisa aponta ainda que 43% dos brasileiros não acham que o petista vai disputar a eleição deste ano; 51% acham que ele não deveria ter esse direito
Condenação pode enquadrar Lula na Lei da Ficha Limpa e barrar candidatura; Datafolha avalia opinião popular sobre isso
A situação apertada do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva com a Justiça brasileira e sua intenção de, mesmo assim, concorrer às eleições presidenciais que vão acontecer em outubro foram tema de mais uma pesquisa do Instituto Datafolha, divulgada nesta quinta-feira (31) pelo jornal Folha de S.Paulo .
De acordo com o levantamento, 53% dos brasileiros consideram que, a essa altura, Lula deveria ser preso. A pesquisa Datafolha foi feita após a condenação em segunda instância do ex-presidente, pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro.
O petista foi condenado na última quarta-feira (24) por unanimidade dos votos de três desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre. A condenação diz respeito ao caso do tríplex do Guarujá, que Lula diz não ser dono, mas a Justiça diz o contrário. 
Ao julgar o recurso do petista, o TRF-4 manteve a sua condenação, imposta pelo juiz federal Sérgio Moro na primeira instância, e aumentaram a pena de 9 anos e 6 meses de prisão para 12 anos e 1 mês. 
Mesmo assim, Lula se declara pré-candidato às eleições. Porém, segundo o levantamento, 43% dos brasileiros acreditam que ele não participará da corrida presidencial. Outros 32% têm certeza de que ele vai ser candidato e 21% acreditam na possibilidade de Lula participar das eleições . 
Para 51% das pessoas entrevistadas, o ex-presidente não deveria poder disputar a eleição, mas 47% acham que ele tem esse direito. 

Condenado, mas possível candidato

Como foi condenado por um órgão colegiado, o líder petista passa agora a se enquadrar na Lei da Ficha Limpa , e corre o risco de ficar de fora das eleições. Juridicamente, contudo, a questão não é ponto pacífico, e ainda há a chance de a candidatura de vingar. 
Por meio de nota, assinada pela presidente nacional do partido, o partido classifica de “farsa judicial” a condenação do ex-presidente. A nota também elenca aqueles que, segundo o partido, tomaram parte no “ golpe antidemocrático”. “Confirma-se o engajamento político-partidário de setores do sistema judicial, orquestrado pela  Rede Globo , com o objetivo de tirar Lula do processo eleitoral”, diz a nota.
“São os mesmos setores que promoveram o  golpe  do impeachment em 2016, e desde então veem dilapidando o patrimônio nacional, entregando nossas riquezas e abrindo mão da soberania nacional, retirando direitos dos trabalhadores e destruindo os programas sociais que beneficiam o povo”, diz a nota.
Para divulgar a pesquisa a respeito da situação judicial de Lula hoje, o Instituto Datafolha ouviu 2.826 pessoas entre os dia 29 e 30 de janeiro de 2018.

POLITICA: Partido Novo pede ao TSE para suspender propaganda do PT que exibe Lula

Tribunal rejeitou candidatura de Lula à Presidência, mas permitiu ao PT fazer propaganda sem mostrá-lo como candidato. Novo alega que PT d...